Retorna à página principal   Mapa do site   Intranet - Acesso Restrito   Acesso Restrito para Pastores   Imprimir o conteúdo desta página    Fale conosco.
Comunidade Evangélica Entre as Nações



Palavra da Terra Santa

O dia do perdão - Yom Kipur

Os judeus, de modo geral, levantam bem cedo, antes do nascer do sol e recitam orações e cânticos de arrependimento que expressam a
profunda tristeza que cada indivíduo e toda coletividade tem pela fraqueza e pelos pecados que eles cometeram.
Não existe nenhuma outra nação que gaste dez dias meditando acerca da expiação e perdão dos pecados como a nação de Israel.
No dia da expiação quase todo Israel e a comunidade judaica ao redor do mundo jejua. Ninguém come ou bebe, por um período de 24 horas.
Cada pessoa, que não esteja doente ou grávida, ou seja menor de doze anos, jejua, isto aumenta a seriedade do dia no qual se faz uma avaliação sobre a própria vida.
Os cultos nas Sinagogas geralmente acontecem na noite anterior, pela manhã bem cedo, e o último as 18:30 deste dia. Muitas pessoas
permanecem na Sinagoga por 10 horas, para orar e suplicar a Deus pelo perdão dos pecados.

A consciência do pecado do Apóstolo Paulo está provavelmente influenciada pelas oracões do dia da expiação. Passagens como Romanos
7:24 "Desventurado homem que sou. Quem me livrará do corpo desta morte?", podem estar influenciadas pelas confissões do dia da
expiação, que repetidamente enfatizam a fraqueza e a vulnerabilidade do homem.

Há um interessante comentário feito por Ibn Ezra, um rabino judeu medieval, a respeito de Levítico 16.9-10: "Se voce deseja conhecer o
mistério do cordeiro expiatório deve conhecer primeiro quem morreu na idade de 33 (trinta e tres)...".
Um comentarista posterior, um dos mais famosos Rabinos Judeus da era de ouro, do exílio espanhol, rabino Moshe Ben-Nachman, afirma
neste verso: "Eu digo que o Rabino Ibn Ezra quis dizer, "a idade de 33...": Esaú e o Reino de Edom". Na terminologia judaica medieval,
Esaú é Yeshua, e o Reino de Edom é o Império Romano.

Assim, o Rabino Moshe identifica a pessoa de quem o Rabino Ibn Ezra estava falando como sendo Yeshua. Yeshua é o Cordeiro expiatório que leva os pecados de Israel sobre si no dia da expiação.
É interessante ver rabinos que identificam o cordeiro como sendo Yeshua e ainda não acreditam n'Ele. A razão pela qual esses rabinos são
capazes disso é porque eles viviam sobre a impressão errada que cristianismo é para gentios e não para Judeus.
A política da igreja católica em relação ao povo judeu apenas reforçou essa idéia errada. Yeshua, (Jesus) veio em primeiro lugar para o povo de Israel.
Os cristãos tem a responsabilidade de orar pelas boas novas para o povo judeu, se não por outra razão, pelo fato de que eles receberam as boas novas dos judeus.

Qual é a aplicação disso tudo para os seguidores de Yeshua o Messias?
"consciência de pecado" é talvez o tema mais pregado nos púlpitos das igrejas ocidentais. Arrependimento é certamente o maior
princípio de todas as religiões bíblicas. Os cristãos frequentemente pensam que sao proprietários de confissões e arrependimentos,
por fé e graça.

A verdade é que tanto no judaísmo quanto no islamismo, há sustentação de uma forte crença para o arrependimento. Há coisas
que podemos aprender do judaísmo nos 10 dias de arrependimento:

  • Estabelecer um tempo para meditar acerca de seu "status" com Deus, sua necessidade de arrependimento e deixar que este tempo seja oportuno para se fazer um esforço concentrado.
  • Durante esse tempo separado para arrependimento, deve-se levantar bem cedo e começar o dia confessando os pecados.
  • Há itens que exigem um arrependimento coletivo e, devem envolver toda comunidade no processo de arrependimento.
  • Embora o arrependimento seja de responsabilidade individual, é importante que as pessoas façam isto juntas, estabelecendo um
    tempo especial para isso.

Há algumas pessoas que desprezam essa idéia e dizem que devemos nos arrepender diariamente e instantaneamente quando nos surpreendemos em pecado.
Mas, a verdade é que há muitos pecados que cometemos inadvertidamente e, sem ter consciência deles. Nós precisamos gastar tempo em nos concentrar.

Para o povo Judeu que não acredita em Yeshua, o processo de arrependimento é complicado pelo fato de que há muitos textos bíblicos que
eles lêem durante os cultos do dia da expiação, que mencionam a necessidade de sangue e sacrificio para a expiação.
Aqueles que acreditam em Yeshua, o Messias, sabem que o sangue de cordeiros e touros não mais corre no altar para expiar os pecados
de Israel, mas o sangue derramado por Yeshua está ainda disponível para expiar, perdoar e redimir os judeus de seus pecados.

Dos nossos irmãos em Cristo, Osvaldo Tavares e Késia Hadassah, de Israel